O processo do coaching para sua equipe: as melhores práticas

O

Grandes startups e empresas de vários portes e segmentos tem adotado um modelo de gestão e liderança baseado no coaching. Essa metodologia torna o processo de treinamento e acompanhamento mais leve para os colaboradores, além de contribuir para o melhor desempenho pessoal e profissional.

O coaching para sua equipe na prática

É importante estabelecer reuniões individuais semanalmente para traçar metas de desenvolvimento e identificar os gaps que precisam de atenção. A continuidade é importante para o sucesso desse processo.

Um detalhe importante é que de nada adianta oferecer o coach para alguns tipos de colaboradores. Normalmente, são aqueles que desenvolveram o próprio processo e se dão bem somente com ele. Por isso, perguntar se existe o interesse de trabalhar o coaching é o primeiro passo para iniciar!

Coaching é uma palavra em inglês que indica uma atividade de formação pessoal em que um instrutor (coach) ajuda o seu cliente (coachee) a evoluir em alguma área da sua vida.

Lembre-se que o coaching é bem diferente do treinamento. O treinamento normalmente tem uma agenda bem definida com pontos fixos a serem trabalhados. O coaching é uma metodologia que visa identificar as falhas ou pontos fracos do processo do colaborador e assim, através de reflexões, promover o desenvolvimento.

Viva suas próprias experiências

Você não conseguirá oferecer o coaching para um processo se você não trilhou aquele caminho e sentiu as mesmas “dores” dos seus colaboradores. Cada vez mais as empresas buscam “escalar” os atuais membros da equipe para serem os gerentes dos times, já que eles viveram na pele o processo.

Isso é fundamental para trabalhar a empatia do coach para o coachee. Se você não teve pontos baixos, nos quais aprendeu a se superar, dificilmente promoverá o mesmo resultado na sua equipe.

Um coach-exemplo é aquele modelo do que é possível de alcançar

Não existe mágica em nenhum processo em nenhuma empresa. Existe trabalho duro, sangue no olho, dedicação e esforço. É por isso que os melhores colaboradores (que provavelmente nunca passaram um aperto), dificilmente desenvolverão a empatia e podem até mesmo intimidar o seu time!

Lembre-se que o melhor professor é aquele que incentiva os alunos a serem melhor do que si mesmo. Isso é regra do processo de coaching. De nada adianta ser a perfeição do mentor sendo que aquilo é um ponto fora da curva e causará impressões tipo: “ah, fulano não é referência. Ele é bom demais”.

Algumas vezes, seu time precisa de respostas

Uma das bases do coaching é perguntar. Perguntar tanto, que às vezes perguntamos o por quê de perguntar a pergunta. Entendeu? rs

Porém existem momentos em que seu time realmente pode precisar de respostas precisas e claras, por mais que você não as tenha na ponta da lingua. A sinceridade é fundamental, bem como seu engajamento para correr atrás de uma possível solução, mesmo que temporária.

Não ignore as perguntas dos seus colaboradores. Quando sentir que eles realmente precisam de um norte, oriente com suas próprias experiências (claro, perguntando se eles tem interesse de saber!)

Ofereça o coaching do seu coração e não da sua cabeça

Sabemos que na realidade profissional, a lógica é fator chave para o sucesso. Porém, no coaching, muitas vezes não temos as perguntas certas e nem mesmo sabemos identificar o gap no processo do colaborador.

Como já foi dito antes, não há, nesse processo, uma agenda bem definida. Às vezes, uma reunião pode acabar em impressões pessoais que se mostram crenças negativas. Elas podem inibir o sucesso da sua equipe, sabia?

Essa “liberdade” de agenda te oferece a flexibilidade para explorar essas áreas incertas e recheadas de medos, dúvidas e anseios. Por isso, a confiança entre você e o coachee é ponto base para o coaching.

Coloque-se a disposição para orientar em como separar a vida pessoal da profissional. Dessa maneira, você será uma referência, sem perder o tempo de trabalho com questões muito pessoais e minar toda mentoria oferecida!

Desenvolva sua própria maneira de oferecer coaching

Não existe uma maneira correta. Se você se orientar pelas dicas acima, em pouco tempo desenvolverá sua própria técnica. Seja ela com mais ou menos impressões pessoais, fazendo uso de tabelas ou documentos, etc.

Gostou desse conteúdo? Não se esquea de cadastrar na nossa newsletter para receber (somente uma vez por semana pois detestamos spam!) as principais novidades do Vou de Salto.

Deixe seu comentário e compartilhe com a gente suas melhores práticas de coaching. Leia mais sobre contratação de uma equipe sensacional para sua empresa!

Sobre a autora

Bela Guarino

Gerente de Inside Sales e Parcerias na Rock Content, formada em Relações Internacionais, mas já foi ninja, marketeira e até mesmo cosplayer. Teve seu 1º blog aos 12 anos e hoje gosta mesmo de Reiki e viajar por aí. Fã de carteirinha de Senhor dos Anéis e CardCaptor Sakura.

Comente!

Tópicos recentes

Categorias

Popular Posts

Mostrar
Esconder