Modelo de Canvas: o guia para criar seu business plan!

M

Com o crescente surgimento de startups, mais empresas vem prestando consultorias e mentorias para o desenvolvimento de ideias. O modelo de Canvas, no entanto, é similar a um plano de negócios.

A importância de criar um modelo de negócios

Um estudo elaborado pela Clemson University mostrou que empreendedores tem 250% mais sucesso quando desenvolvem seu business plan. Não porque isso vai atrair investidores, ou é um documento bonito de se ter.

A importância do canvas é para que o empreendedor consigo isualizar todos os pontos fortes e fracos da sua ideia de negócio antes mesmo do lançamento. Assim, evita prejuízos ou erros que poderiam facilmente ser corrigidos.

Modelo de Canvas online e gratuito

O SEBRAE lançou um ótimo recurso para quem precisa estruturar sua ideia de negócio antes de apresentar em programas de aceleração de startups ou para investidores. É o SEBRAE Canvas, totalmente gratuito e intuitivo!

Esse modelo também ajuda no overview do negócio, buscando antecipar problemas e soluções. Porém precisamos elaborar mais profundamente alguns pontos do negócio!

Vamos ao modelo de canvas!

Primeira parte: Visão geral do negócio

Solução da dor do cliente

Qual é o problema enfrentado pelo seu cliente e como você vai resolver esse problema. Eu particulamente gosto do Storytelling. Conte uma história que mostre como o problema é percebido pelo seu cliente ideal e qual é a melhor solução para essa dor. Depois, explique exatamente como sua empresa se encaixa nessa solução. Imagine que você está realmente escrevendo uma história com começo, meio e fim!

Quem é você?

Dada solução que você oferece, conte qual é a sua missão ao oferecê-la, qual a visãi que sua empresa tem, os objetivos em prestar o serviço ou desenvolver o produto. Descreva aqui o negócio de uma maneira um pouco mais técnica.

Background do time

O importante desse tópico é entender o quão complementar é o seu time e como ele pode atuar em conjunto para desenvolver o produto ou solução. Explique como as diferentes experiências do time são peças fundamentais do mesmo quebra-cabeça!

Conte também quem são os investidores, corpo técnico, freelancers, além do C-level. Quanto mais informação de pessoas, melhor! Já diria Henry Ford:

“Você poderia tirar de mim as minhas fábricas, queimar os meus prédios, mas se me der o meu pessoal, eu construirei outra vez todos os meus negócios.”

Descreva também futuras contratações que você precisa fazer para consolidar a sua equipe operacional!

Segunda parte: Seu produto/serviço & Estratégia de Operações

Descrição do produto/serviço

Aqui entra a descrição técnica e elaborada do que o seu negócio oferece. É extremamente importante detalhar o máximo possível.

Em caso de produtos, qual o fornecedor de matéria-prima, mão de obra, empresas terceirizadas, equipamentos necessários, aluguel de espaço físico, tecnologia, embalagem, personalização, detalhamento físico, etc. Se possível, tenha consigo um modelo de produto, mesmo que para mera demonstração.

Em caso de serviços, descreva como desenvolver o serviço, como vendê-lo, a plataforma e tecnologia necessárias, aplicativos, sites, outros, rede de parceiros, entre outros. O MVP (mínimo produto viável) pode se fazer necessário, como um aplicativo teste ou uma Landing Page.

Descrição do cliente

Dados demográficos detalhados, bem como a psicologia do seu cliente. Gosto muito de usar o Índice de Hofstede  para analisar o aspecto cultural de diferentes países!

Descrição do Marketing

Descreva análise SWOT (Forças, Fraquezas, Oportunidades e Ameaças), 4Ps (Produto, Preço, Praça, Promoção – eu acrescento Parcerias Estratégicas aqui!).

Fazer benchmarking pode ajudar, mas a pesquisa de mercado surveymonkey.com é crucial para comprovar seu público alvo.

Em caso de estratégia de Inbound, desenvolva a persona, as palavras chaves buscadas nos mecanismos de pesquisa e também o mapeamento de conteúdo com os veículos de comunicação mais consumidos.

Faça análise do investimento necessário em marketing de conteúdo, impulsionamento nas redes sociais, serviço de hospedagem e automação de marketing, serviços de email-marketing, etc.

Considere também a mídia tradicional, que pode alavancar negócios no começo da jornada de estabelecimento da marca.

Terceira parte: Projeção Financeira

Essa é a parte do dinheiro. É aqui que precisamos fazer as contas e colocar os cálculos na ponta do lápis. Entra também o lucro previsto, payback, margens de lucro, receita bruta e líquida, etc.

Também vale lista a escalabilidade do negócio (o quanto você consegue tornar seu produto ou serviço escalável – maior produção, menores custos!), capacidade e projeção de crescimento.

Façaum relatório de competitividade, listando pelo menos 3 concorrentes diretos e indiretos do seu negócio, bem como os pontos fortes e fracos deles.

Para fazer a projeção financeira, use tabelas e gráficos comparativos com previsão trimestral, semestral e anual. Se você está buscando investidores, não se esqueça de detalhar quanto de investimento inicial é necessário, por que e para quê. Como você vai gastar esse investimento?

Estratégia de venda

Muitos jovens empresários gostam de iniciar sua startup para vendê-la e poder criar mais ideias inovadoras. Se esse é o seu caso, inclua a estratégia de venda da sua startup e qual a projeção esperada para esse momento!

Por fim, inclua todos os contatos dos empresários para que investidores possam encontrá-los facilmente.

Espero que esse artigo tenha sido útil para você começar seu negócio. Quando seu modelo de negócios estiver pronto, inscreva-se para os programas de aceleração de startup:

Conte para a gente sua experiência e faça parte da nossa comunidade de mulheres líderes e empreendedoras!

Sobre a autora

Bela Guarino

Gerente de Inside Sales na Rock Content, formada em Relações Internacionais, mas já foi ninja, marketeira e até mesmo cosplayer. Teve seu 1º blog aos 12 anos e hoje gosta mesmo de Reiki e viajar por aí.

Comente!

Tópicos recentes

Categorias

Popular Posts

Mostrar
Esconder