Consumo consciente: saiba como gastar controladamente!

C

Certa vez fui à uma loja no sul de Minas Gerais. Queria comprar uma bota de montaria, mas os preços na capital eram muito altos para o que eu considerava um “bom negócio”. Já li bastante sobre consumo consciente, mas ainda assim não sabia bem como aplicar isso no meu dia-a-dia. Fato é que tinha uma meta: Não gastaria mais do que R$200,00 naquele calçado!

Encontrei um modelo bonito, confortável, R$158,00 (!!!), mas um pouquinho apertado. Convenhamos: que mulher nunca comprou um sapato menor que o pé só porque era um achado?! Contente com minha descoberta, fui até o caixa e já entreguei meu cartão de crédito.

“Você quer dividir de quantas vezes esse valor?” Qual é a resposta na pontinha da língua? Isso mesmo!

“Moça, divide de quantas vezes puder!”

Sabe de quantas vezes dividi aquela bota de R$158,00? Pasmem: 16 vezes. Isso mesmo, 16 parcelas suaves de R$9,87. Pronto! Matamos o pobre coitado do consumo consciente. Já pensei em comprar aquele batom que eu queria, ou talvez um vetsido novo para usar no verão.

O consumo consciente é vítima direta da compra parcelada!

Nossa gatinha Felícia, um estrupiciozinho, me ensinando sobre consumo consciente.
Nossa gatinha Felícia, um estrupiciozinho, me ensinando sobre consumo consciente.

Finalmente, uma semana depois, precisei comprar areia para minha gata. Vi uma promoção de “leve três sacos, pague somente dois”. Bom, Felícia gasta um saco de 1 kg por mês, portanto aquela promoção me daria 3 meses de limpeza pelo preço de dois. Fazia sentido dividir aquele valor em 3 parcelas!

No caixa, entreguei meu cartão roxo lindo do NuBank. Solicitei parcelamento de 3x… e pronto! Uma surpresa muito desagradável. Pesadelo de todo adulto… Transação Não Autorizada.

Rapidamente, peguei meu celular e vi a notificação do app do NuBank: limite excedido. Nessas horas, a sua calculadora mental já imagina o que diabos consumiu todos os seus dinheiros disponíveis no cartão!

Saí da fila com 3kgs de areia e ouvi os risos de uma atendente por causa da minha cara de susto. Gastos… gastos… pronto, achei a lista do mês. Sabe aquele pequeno infarto? Foi o que aconteceu quando vi uma lista quilométrica de estabelecimentos com o seguinte padrão:

  • Loja O $apo Lava o Pé | 16x R$9,87
  • Brusinhas e Brinquinho$ | 12x R$7,42
  • Loja Online do$ compre 3 pague 1 | 12x R$21,45
  • Fitnes$ com uma Bike encostada | 3x R$224,70
  • Farmácia Remedinho$ pra Cólica | 2x R$56,93
  • Capinha$ da China | 6x R$29,61
  • Es$a cadeira é tão legal, quero | 3x R$87,33

Não podia ser tão ruim. Esse mês eu já estava zerada… Vamos ver os próximos meses. Dedinhos nervosos deslizaram para a esquerda e mais um susto! Pelos próximos 3 meses, no mínimo, eu estava sem limite. Sem limite! Socorro! E a gata?

Obs.: tinha um dinheirinho na carteira, comprei um quilo de areia, mas fiquei tristinha de perder a promoção!

Saiba quais são as suas prioridades

O comércio hoje está repleto de coisas lindas e legais que realmente despertam o interesse de qualquer pessoa. O problema é que o consumo muitas vezes é feito no impulso. Quem nunca chegou em um supermercado e comprou um produto de beleza que não estava previsto, não é mesmo?

O pulo do gato está em saber separar os gastos necessários para seu mês (alimento, farmácia, transporte, limpeza, contas, etc.) e fazer uma estimativa clara de tudo aquilo que é custo de vida fixo, assim como em uma empresa.

Existem custos variáveis, como médicos esporádicos, que necessitam de um fundo emergencial. Existem também mimos que podemos nos oferecer, mas que devem sempre ser adquiridos a vista para evitar o fator bola de neve.

Saiba o que pode ser parcelado

Um abastecimento de itens de limpeza, por exemplo, que serão utilizados no decorrer de meses, pode ser feito em parcelamento, uma vez que aquele custo fixo é diluído por meses de uso.

Porém um batom novo, por mais que barato e usado inúmeras vezes, não deve ser parcelado. O motivo é simples: esses bens, se parcelados, vão abrindo brecha para você comprar mais coisas naquele determinado mês. O que pode parecer bom, não é mesmo?

Veja só a maldade: suponhamos então que você compre, em um mês, um batom, uma blusa, uma calça, uma sapatilha. Essa compra é parcelada em 3 meses. Mas no segundo mês sua blusa fura e você tem que comprar outra… surpresa! Seu limite está estourado pelos próximos 60 dias.

Mais vale você separar um valor determinado por mês para se permitir comprar itens não essenciais sem comprometer custos extras que possam acontecer!

Na prática, como administrar meus rendimentos e salário?

Não existe uma formula do sucesso, mas o melhor caminho é entender, primeiramente, suas necessidades básicas e a fatia que ela consome dos seus ganhos no mês.

Subtraia aqueles gastos mensais recorrentes com alimentação, transporte, estudo, limpeza, higiene, e outros. Do resultado da subtração, você pode separar seu dinheiro em porcentagens. Eu, particulamente, faço da seguinte maneira:

  • Escolho uma ou duas organizações de caridade para doar de 10% a 15% do meu salário, como Médicos Sem Fronteiras ou Unicef
  • Guardo 20% do meu dinheiro em uma poupança. Esse dinheiro é sagrado porque é para viagens! 🙂 Claro, isso pode ser destinado a projetos de qualquer tipo!
  • Guardo 20% de economias em poupança ou em investimento (inclusive, Bitcoins são uma ótima opção de investimento!). Esse fundo é para minha segurança financeira (e de minha família) e não é usado!
  • Guardo 25% para gastos com: livros, cinema, exposições, parques, etc. Entretenimento no geral.
  • E o restante eu uso com gastos pessoais, sejam roupas, sapatos, maquiagem, presentes e outros mimos.

Assim, fica fácil não ter pequenos infartos toda vez que chega a fatura do cartão de crédito, não é mesmo?

O mais importante aqui é termos um controle de gastos, despesas e até mesmo emergências para que não aconteça o efeito bola de neve. A nossa segurança financeira é a chave para nosso bem estar e tranquilidade dia após dia, mesmo em situações de emergência. Acredite, no começo as economias podem parecer pequenas, mas se bem aplicadas e com o tempo, elas podem realmente ser uma mão na roda!

Se esse conteúdo foi útil para você, não deixe de assinar nossa newsletter mais mais dicas de empreendedorismo, finanças, bem-estar e liderança da mulher. Deixe um comentário e compartilha com a gente suas experiências consumidoras! rs…

Sobre a autora

Bela Guarino

Gerente de Inside Sales na Rock Content, formada em Relações Internacionais, mas já foi ninja, marketeira e até mesmo cosplayer. Teve seu 1º blog aos 12 anos e hoje gosta mesmo de Reiki e viajar por aí.

Comente!

Tópicos recentes

Categorias

Popular Posts

Mostrar
Esconder