Chega de síndrome do impostor: disciplina mental é a solução!

C

Não importa se você está bem sucedido ou não, se está passando por problemas pessoais ou não, ou qualquer outra situação: a síndrome do impostor atinge a maioria das pessoas no mundo inteiro. Você sabe o que é a síndrome do impostor? É aquele pensamento constante que nos coloca para baixo, que nos desmotiva e que, principalmente, nos faz pensar que somos grandes fraudes. E esse tipo de pensamento pode estar relacionado a vários tipos de problemas, desde a insegurança à depressão.

A síndrome do impostor é assim chamada pois sua vítima acaba sentindo-se como uma grande farsa, como se ela não fosse capaz de realizar nenhum dos seus sonhos e planos. A insegurança chega a tal ponto que esta pessoa começa a duvidar de quem ela é e de sua capacidade para resolver qualquer problema em sua vida, ou mesmo bancar aquilo que você faz ou já conquistou.

Porém, o que muitas pessoas não sabem é que a síndrome do impostor tem competição: e são 5 competidores! Por isso, venha conhecer cinco formas de disciplina mental que irão te ajudar a acabar com essa vilã e mostrar pra ela (e para você mesma) que você é sim capaz de conquistar tudo o que deseja!

1. Linguagem

Segundo a Revista Entrepreneur, a dúvida de si mesma é a linguagem ancestral das mentiras. Desta forma, quanto mais inseguras nos tornamos, mais mentiras contamos a nós mesmas! E a melhor forma de superarmos essa dúvida é ser mais positiva consigo mesma através da linguagem.

É a partir da linguagem que nomeamos as coisas, que nos entendemos com os outros e que nos comunicamos – e a comunicação não é só para com os outros. Precisamos falar com nossas mentes. E, acima de tudo, aprendermos a falar de maneira mais positiva. A positividade muda a nossa forma de pensar, nos encoraja e acaba com as mentiras que nos contamos.

Por isso, fala uma reflexão consigo mesma sobre todos os sucessos na sua vida – desde aquela comida bem feita até as amizades mais bem cultivadas. Pense somente nas coisas positivas e manifeste-as: mostre para os outros aspectos da sua vida que você também é capaz de mudá-los. Quanto mais positividade, menos medo e insegurança passamos a sentir.

2. Competição

Com certeza você já assistiu a um reality show de competição e torceu muito para que alguém vencesse as provas e até o programa todo. E já reparou que constantemente esses participantes precisam mostrar, o tempo todo, que são capazes de se superarem e de vencerem seus desafios? Pois é aí que você entra! E não, você não precisa estar em um programa de TV para mostrar a si mesma e aos outros que você pode sim vencer a si mesma.

Se você consegue, algumas vezes, acreditar nas suas próprias dúvidas, experimente agora só competir com elas. Não concorde com elas: ente mudá-las! A competição não só é uma maneira de nos dar força para encararmos nossos desafios, como também é empolgante. Todos nós temos dúvidas sobre as coisas e sobre nós mesmas, pois isso faz parte da nossa condição humana, mas viver sob essas dúvidas não é saudável e não está certo.

Afinal de contas, se o homem não quisesse se superar o tempo todo, não teríamos a tecnologia, a ciência e tudo o que temos hoje, não é mesmo? Prove a si mesma que você é capaz de fazer mais! Aja contra seus medos!

3. Você é privilegiada, ainda que não acredite

Você tem saúde? Tem educação? Tem oportunidades? Tem o quê? Tudo aquilo que você tem são seus privilégios, acredite ou não. E ainda que você não tenha algo que queira, você pode ir atrás do que quer que seja, não pode? O que está te impedindo? Pare de focar nos seus problemas e foque naquilo que você tem e no que já conquistou. Não é todo mundo que tem o que você tem, seja isso material ou não.

E são esses privilégios que poderão te dar força para seguir em frente, seja na competição consigo mesma ou seja para dar sustentação à linguagem positiva que você deve ter. E acredite: mesmo todos os seus problemas podem ser vistos também como privilégios, pois além de serem melhores que muitos outros, ainda são motivações para te fazer seguir em frente e se superar cada vez mais!

4. Mude seu foco para o outro

A percepção que temos acerca daquilo que estamos vivendo pode ser crucial na hora de lutar contra a síndrome do impostor. Quando você estiver se sentindo pressionada, provavelmente pensará de maneira negativa e acabará dando foco a todos os seus medos. Assim, para que você mude seu foco, você precisa pensar não só em você, mas nos outros. Comece a pensar nas coisas que poderá oferecer ao outro, em como poderá melhorar uma relação, como pode ajudar alguém…

Tirar o foco de si mesma pode ser muito útil para tirar essa carga negativa de você – ainda que, quando se tratando de superar a síndrome do impostor, você tenha que pensar em coisas positivas para você mesma.

A partir do momento em que pensamos nos outros, passamos a trabalhar mais com conceitos de compaixão, esperança e apoio, como argumentado pela Revista Entrepreneur. E pensar na felicidade do outro faz com que as pessoas queiram trabalhar conosco, pois passam a enxergar em nós a possibilidade de um relacionamento benéfico. Sem contar que, ao fazer o bem para o outro, também nos sentimos melhor!

5. Reverta o que pode ser revertido

Pensar em reverter o que pode ser revertido tira nosso foco de nós mesmas. Desta forma, tentamos acabar com a síndrome de fora para dentro, ou seja, fazemos tudo aquilo que é contrário ao que estamos pensando – no caso da síndrome do impostor. Assim, se você estiver achando que está sem saída, procure novas oportunidades. Se você acha que vai desistir de algo, impeça isso de acontecer. Assim como dito na revista,

Quando fazemos o oposto e temos sucesso, nossas próprias ações têm poder de mudar nossas crenças.

Se você é uma mulher empreendedora que gosta de estar por dentro das principais dicas e boas-práticas, não deixe de assinar nossa newsletter. Odiamos spam! Nossa equipe se preocupa em fornecer, no máximo 1 vez por semana, as principais novidades do blog Vou De Salto. Leia mais sobre como tornar sua vida mais positiva e compartilhe suas ideias!

Sobre a autora

Tatiana Leite

Bacharel em Relações Internacionais e mestranda em Comunicação Social, ambas pela PUC Minas, se interessa por todo tipo de cultura. Com uma queda por telenovelas mexicanas, pretende continuar estudando sobre o gênero ficcional e encorajar mais pessoas a seguirem suas paixões.

Comente!

Tópicos recentes

Categorias

Popular Posts

Mostrar
Esconder